terça-feira, 27 de junho de 2017

Traça-colibri (Macroglossum stellatarum)

foto: Ben porter
Traça-colibri (Macroglossum stellatarum)
Esta traça pertencente à família Sphingidae e pode ser vista em Portugal. Esta família reúne mais de 1000 espécies em todo o mundo mas a maior parte reside nos trópicos. Em inglês o nome comum para este grupo é Hawkmoth que significa "traça-falcão" e isto tem a ver com a forma rápida e acrobática como voam tal como fazem estas aves de rapina. São normalmente traças de grande porte. A grande maioria dos adultos desta família alimentam-se mesmo aquelas espécies cujas "línguas" são mais pequenas. Algumas espécies têm desenhado nas asas superiores uma espécie de olhos que servem para proteção contra predadores. As fêmeas são em geral maiores que os machos.
foto: Ben Porter
Aqui nos jardins do nosso Centro é habitual ver voar a traça-colibri por entre a Lantana camera, um dos arbustos com flor que temos no Centro. Ela tem este nome porque parece um beija-flor (Macroglossum do latim, língua grande). Os adultos alimentam-se do néctar das flores e voam sobrevoando ou parecendo pousar nas flores. Enquanto voam podemos ver o probóscide e o alaranjado das suas asas inferiores (como na foto de cima). Os adultos podem, se precisarem, hibernar durante os meses mais frios. Alguns migram de sul para norte nos meses de calor (abril a dezembro).
As lagartas são verdes com riscas brancas nos flancos e com um “corno” avermelhado, saliente na parte de trás como se fosse uma “cauda” e não têm pelos. 
Outros nomes: Traça-beija-flor, Mariposa-esfinge-colibri (P); Hummingbird hawk-moth (GB); Esfinge colibri (E); Moro-sphinx, Sphinx colibri, Sphinx du caille-lait (F). 

Borboletas noturnas V (outras famílias)

foto: Ben Porter
Traça-de-Libré (Malacosoma neustria)
Esta traça pertencente à família Lasiocampidae e encontra-se em Portugal.
Os adultos desta espécie são todos castanhos mas as lagartas têm listas de cores amarelas e laranjas com pelos laterais compridos, este são uma proteção contra predadores. Estas são gregárias e constroem um ninho de seda onde se refugiam. Alimentam-se de pereiras, macieiras e ameixeiras. Existe dimorfismo sexual pois os machos normalmente apresentam antenas mais largas com as quais conseguem "cheirar" as fêmeas e muitos metros de distância. Os adultos não se alimentam.Outros nomes: Lackey moth (GB); Livrée des arbres (F).

foto: Rob THomas
Traça-do Álamo (Laothoe populi)
Estas traça pertence à família Sphingidae. Quando descansa tem o hábito de deixar parte das asas inferiores à mostra o que lhe dá um aspeto fora do normal mas que ajuda na identificação. Muitas vezes faz lembrar folhas de Populus mortas por isso o nome comum de álamo. Pode atingir os 10 centímetros de envergadura. A lagarta é verde clara com riscas amarelas nos flancos e uma espécie de corno na cauda. Apenas a lagarta se alimenta de árvores desta família as traças adultas não se alimentam. Outros nomes: Poplar Hawkmoth (GB); Sphinx du Peuplier (F).


foto: Ben Porter






Agonopterix ocellana
Esta traça pertencente à família Oecophoridae. A sua envergadura pode atingir os 2,2 centímetros. A lagarta alimenta-se de Quercus pode por isso ser encontrada em Portugal.
Outros nomes: Red-letter Flat-body (GB).



foto: Ben Porter
Dichomeris lamprostoma

Esta traça pertencente à família Gelechiidae e pode ser encontrada em Portugal. As lagartas são conhecidas por girar as folhas das plantas de que se alimentam e por fazerem ninhos de seda à volta delas. 

foto: Ben Porter


Homaloxestis briantiella
Esta traça pertencente à família Lecithoceridae e pode ser encontrada em Portugal. É muito pequena e a lagarta come plantas herbáceas.

foto: Ben Porter







Hydriris ornatalis
Esta traça pertencente à família Crambidae e pode ser vista em Portugal.
Outros nomes: Ornate hydriris (GB).











Alguns dos nomes comuns, por não existirem, foram traduzidos dos nomes comuns em inglês, espanhol ou francês.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Borboletas noturnas IV (Família Erebidae)

Erebidae é uma das maiores famílias de macro-traças.
Alguns dos nomes comuns, por não existirem, foram traduzidos dos nomes comuns em inglês, espanhol ou francês.

foto: Ben Porter
Traça-roseta (Miltochrista miniata)
Esta traça pertencente à família Erebidae e pode ser vista em Portugal. É muito pequena com cerca de 2,7 centímetros de envergadura. As asas superiores são de um vermelho-rosádo com pontuações pretas. A lagarta é cinzenta com cabeça preta e com pelo comprido.  Estas alimentam-se de líquenes. Outros nomes: Rosy Footman (GB); Rosette (F).


foto: Ben Porter
Traça- tigre- carmesim (Phragmatobia fuliginosa)
Esta traça pertencente à família Erebidae e pode ser observada em Portugal. Com uma envergadura de 4,5 centímetros tem as asas superiores de castanho-canela. As asas interiores são delineadas por uma risca vermelha. As lagartas têm pelo longo avermelhado, corpo acinzentado com cabeça castanha. Elas alimentam-se de plantas herbáceas. Outros nomes: Ruby Tiger (GB); L’Écaille cramoisie (F).


foto: Ben Porter
Traça-cisne (Euproctis similis)
Esta traça pertencente à família Erebidae e pode ser observada em Portugal. Com uma envergadura de 4,5 centímetros, tem as asas e o resto do corpo todo branco com exceção para uma pequena “ponta” amarela no abdómem (daí o nome em inglês). O tórax e patas têm pelos longos brancos fazendo lembrar um cisne. Esta espécie apresenta dimorfismo sexual sendo a fêmea maior e tendo a “ponta” maior. A lagarta é preta, com cabeça preta e com alguns pelo cinzentos longos espalhados e riscas vermelho-tijolo longitudinais separadas por outras de cor branca. Alimenta-se de arbustos. Outros nomes: Yellow-tail, Goldtail moth, Swan moth (GB); Cul-doré (F).

foto: Ben Porter
Traça- pudibunda (Calliteara pudibunda)
Esta traça pertencente à família Erebidae e encontra-se em Portugal. É uma espécie com dimorfismo sexual. Pode chegar aos seis centímetros de envergadura. A lagarta é verde-claro com pelos compridos amarelos riscas pretas, como se vê na foto. Elas alimentam-se das árvores, sobretudo carvalhos. Outros nomes: Pale tussock Moth (GB); Pudibonde (F).




foto: Ben Porter



Traça-mármore-púrpura (Eublemma ostrina)
Esta traça pertencente à família Erebidae e pode ser vista em Portugal. As asas superiores têm riscos roxo-púrpura. As lagartas são amarelo-acinzentadas com uma linha amarela dorsal. Alimentam-se de flores.

Outros nomes: Purple marbled